Categorias
Esportes

Auxiliar técnico Renê Weber morre no RJ de complicações da covid-19

 Renê Weber morreu nesta quarta-feira (16), no Rio de Janeiro em decorrência da covid-19. Desde o início do mês, ele estava internado na UTI do hospital São Lucas, em Copacabana.
Como jogador, Renê defendeu o Fluminense. Pelo Tricolor carioca, foi tricampeão estadual (1983, 1984 e 1985) e campeão brasileiro em 1984, com 143 jogos e 15 gols. Jogou também pelo Internacional e América (RJ).
Após pendurar as chuteiras, ele foi técnico da Seleção Brasileira Sub-20 e coordenador técnico do São Paulo. O último trabalho de Renê foi na comissão técnica do Botafogo, atuando como auxiliar, ao lado de Paulo Autuori entre fevereiro e outubro de 2020. Em 1995, a dupla também estava no Alvinegro, quando o clube conquistou o título brasileiro. O Botafogo se despediu dele na página oficial do twitter.

 

Categorias
Esportes

Apesar de pandemia, rede social mostra aumento na prática esportiva

O Strava, rede social voltada ao esporte, divulgou nesta quarta-feira (16) um balanço sobre a prática de exercícios físicos no mundo ao longo de 2020. O relatório compilou dados dos cerca de 73 milhões de usuários da plataforma no mundo e concluiu que, apesar da pandemia do novo coronavírus (covid-19), houve aumento de 13,3% na frequência de treinamento e de 14,7% no tempo médio voltado às atividades, na comparação com o ano passado.

Gerente do Strava no Brasil, Rosana Fortes avalia que o treino indoor (dentro em casa), saída encontrada pelos esportistas para manter a rotina em meio às restrições da quarentena, é uma das explicações. O relatório indica que as atividades caseiras foram realizadas 2,2 vezes mais que em 2019, atrás somente das caminhadas ao ar livre (que cresceram três vezes). Outros exercícios indoor, como pedaladas (1,7 vez mais) e corridas (1,3 vez mais) também se destacaram.

“É muito diferente pedalar e correr ao ar livre e dentro de casa, em uma esteira ou rolo [de bicicleta]. Mas vimos vários atletas se desafiando. Houve um tempo, entre maio e junho, trazendo para a realidade do Brasil, em que eles ainda achavam que as primeiras competições adiadas voltariam em dois ou três meses. Por exemplo: antes de passar para 2021, o Ironman Florianópolis [prova de triatlo] tinha sido postergado em alguns meses para frente. Então, eles precisariam se manter ativos até lá. Como se adaptar? Por isso, acho que vimos esse ganho de carga e minutos de treino”, comenta.

Ainda segundo o balanço, em países onde o confinamento foi mais rigoroso no ápice da pandemia (entre março e maio), o crescimento dos treinos indoor variou de 2,5 a quase quatro vezes mais que no ano passado. O triatleta mineiro Thiago Vinhal vivenciou o lockdown na Espanha, onde estava com seu técnico e sua esposa, que é campeã mundial da modalidade e especialista em nutrição esportiva. Sob os olhares da dupla, teve que se adaptar à nova rotina.

“Fui para lá [Espanha] para um camp [de treinos] e caí em um internato [risos]. Na conversa com o técnico, decidimos controlar o que desse para controlar. Sempre fui muito ruim no treino indoor, mas tive que realmente começar a fazê-lo. Não posso reclamar. Foi o olhar da mudança que me deu paz. Quando acabou o lockdown e os atletas profissionais puderam sair para treinar, tive a montanha inteira para aproveitar. Bati minhas marcas pessoais, recordes de potência na subida, de natação, de corrida”, conta Vinhal.

“Outra coisa que observamos é que alguns hábitos adquiridos na pandemia, de treino indoor, creio que serão mantidos. Muitos atletas profissionais tinham pavor de fazer bicicleta indoor, mas vimos que vários deles adotaram isso como um treino complementar, para um dia de trânsito ruim ou de chuva. O Pippo Garnero [ciclista campeão brasileiro] é um que pedalava pouco em casa, por morar perto de uma estrada, e adotou. O treino indoor, as aulas por meio de lives, chegaram para ficar. São novidades”, emenda Rosana.

Mulheres em destaque

O relatório identificou que o crescimento foi impulsionado pelas mulheres. Entre as atletas de 18 a 29 anos, o avanço no número médio de atividades foi de 45,2%. Ainda no universo feminino, o índice de aumento nas demais faixas etárias (30 a 39, 40 a 49, 50 a 59 e mais de 60) esteve sempre acima de 20%. O público masculino teve crescimento mais discreto, com destaque também à camada mais jovem (18 a 29 anos), que subiu 27,3%.

No recorte do Brasil, os dados são parecidos, com mulheres de 18 a 29 anos apresentando o maior aumento na média de atividades (43,8%). Entre os homens, a faixa etária também foi a de maior crescimento (30%) na comparação com 2019. Há de se considerar que, do ano passado para cá, cerca de três milhões de brasileiros aderiram à plataforma. O país tem cerca de 9,6 milhões de atletas na rede social, apenas superado pelos Estados Unidos (11 milhões) em número de usuários.

“Vemos isso de maneira bem bacana e positiva. [A quarentena da pandemia] foi um momento difícil, com mulheres exercendo diversas funções em casa, muita exaustão, mas que não deixaram a peteca cair. Elas conseguiram tiraram o momento do dia para elas, por meio do esporte, para fazer uma bicicleta ou um funcional. Esse movimento aconteceu no mundo todo”, conclui a gerente do Strava.

Categorias
Esportes

Atlético-GO e Fluminense medem forças nesta quarta-feira

A vitória, de virada, sobre o Ceará na última rodada deu moral para o Atlético-GO seguir na luta para se afastar ainda mais da zona do rebaixamento. Com 31 pontos e na 12ª posição do Campeonato Brasileiro, o Dragão quer aproveitar o bom segundo tempo diante do Vozão para conseguir a primeira vitória dentro do Estádio Antônio Accioly, em Goiânia. O confronto desta quarta-feira (16), começa às 21h30 (horário de Brasília), com transmissão ao vivo pela Rádio Nacional. 

Para o duelo desta noite, o técnico Marcelo Cabo terá dois desfalques: o volante William Maranhão e o meio-campo Matheus Vargas estão suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Por outro lado, Marlon Freitas está novamente confirmado. Depois de ter ficado de fora por quase um mês devido a uma torção no tornozelo, o jogador voltou contra o Ceará e foi um dos melhores em campo. Ele tentou explicar o motivo de o Dragão não conseguir vencer em casa. “A gente tá tendo um desempenho bom em casa, só que a gente não tá concluindo em gol. Isso que tá pesando. Nós estamos com um bom volume de jogo, criamos situações, mas não concluímos em gol. Claro que nossos números são melhores fora de casa. Se a gente conseguir melhorar nosso desempenho em casa, tenho certeza de que nessa reta final de Brasileiro eu acho que a gente vai conquistar coisas grandes no campeonato”.

Jogador da base do Fluminense, Marlon Freitas reencontra o time. Ele marcou um dos gols contra o Tricolor na vitória por 3 a 1 na partida de volta da Copa do Brasil, que acabou eliminando a equipe carioca. O jogador quer que a “lei do ex” volte a funcionar. “Vai ser um momento especial para mim poder jogar contra eles de novo. Espero que a lei do ex se repita. Por incrível que pareça, no jogo contra o Fluminense pela Copa do Brasil eu estava voltando de lesão também. É claro que dessa vez já teve o jogo contra o Ceará, mas é tirar essas coisinhas positivas para sair o gol. O mais importante é fazer um grande jogo, poder voltar a vencer em casa, que isso tem incomodado bastante, para poder estar em uma situação melhor na classificação e dar mais confiança para o restante da temporada”.

Atlético-GO e Fluminense já se enfrentaram três vezes em 2020, com uma vitória para cada lado e um empate. Para o quarto encontro, o Tricolor vem de um empate com sabor de derrota. Vencia o Vasco até os 47 minutos do segundo tempo, quando acabou sofrendo o gol de Germán Cano. O técnico Marcão sofreu críticas por ter recuado demais a equipe na segunda etapa, e o Fluminense acabou perdendo a chance de terminar a última rodada no G4 do Campeonato Brasileiro.

Para o duelo desta quarta-feira, o Tricolor terá dois desfalques importantes por suspensão: Wellington Silva e Yago.Autor do gol contra o Vasco, Wellington Silva deixa a vaga aberta para uma disputa entre Caio Paulista, Lucca e Fernando Pacheco. No domingo, Caio Paulista entrou no lugar de Wellington Silva no decorrer da partida. No caso de Yago, a tendência é que Hudson seja o titular. Martinelli segue lesionado. Luiz Henrique e Calegari também não jogam, pois estão defendendo a Seleção Brasileira Sub-20.

A Rádio Nacional transmite Atlético-GO e Fluminense a partir das 21h, com narração de Rodrigo Campos, comentários de Mário Silva, reportagens de Mauricio Costa e plantão da informação com Bruno Mendes.

Ouça:

Categorias
Esportes

Libertadores: Palmeiras vence Libertad e está nas semifinais

O Palmeiras se tornou, nesta terça-feira (15), o primeiro classificado para as semifinais da Copa Libertadores da América após derrotar o Libertad (Paraguai) por 3 a 0 no Allianz Parque (São Paulo).

O time paulista chegou em boa situação ao confronto desta noite, após empatar em 1 a 1 na partida de ida com os paraguaios.

Início estudado

Disputando uma partida decisiva, Palmeiras e Libertad começaram se estudando muito. Com o passar do tempo a equipe brasileira passou a se soltar mais, e a apostar em chutes de longa distância. Mas quem chegou primeiro com perigo foi a equipe paraguaia, quando, aos 13 minutos, Ferreira dominou bola que sobrou na área, se livrou do zagueiro Gustavo Gómez e ficou na cara de Weverton. Mas o goleiro brasileiro saiu muito bem e conseguiu defender.

Porém, o ímpeto do time paraguaio ficou por aí, e o Palmeiras passou a tomar conta das ações, apostando nos chutes de longa distância. E de tanto chegar, abriu o placar, aos 20 minutos, usando este fundamento. Raphael Veiga preparou chute, mas ele se enrolou com Rony e a bola ficou para Gustavo Scarpa, que bateu forte, rasteiro, para vencer o goleiro uruguaio Martín Silva.

O time paulista passou a valorizar a posse de bola, mas não criou muito no restante do primeiro tempo, diante de um adversário que se preocupou mais em se defender do que em buscar o empate.

Classificação garantida

Apesar de ter a vantagem no marcador, o Palmeiras não iniciou bem a etapa final. Mas o jogo muda de figura aos 18 minutos, quando o juiz expulsou Iván Piris, com auxílio do VAR (árbitro de vídeo), porque o lateral chutou Raphael Veiga por trás.

Com a vantagem numérica, o Verdão não demorou a alcançar o 2 a 0. Aos 22 minutos, Gabriel Menino achou Marcos Rocha na ponta direita. O lateral cruzou rasteiro para Rony, que, de carrinho, colocou a bola no fundo do gol.

O Palmeiras tomou conta de vez do confronto e chegou ao 3 a 0 aos 36 minutos, quando Weverton lançou para Willian, que desviou de calcanhar para Gustavo Scarpa, que avançou e cruzou rasteiro para Gabriel Menino, que chegou em velocidade e deslocou Martín Silva para marcar.

A partir daí foi só administrar o resultado até o final dos 90 minutos para comemorar a classificação para a semifinal da Libertadores.

Próximo adversário

O Palmeiras saberá na próxima quinta (17) quem será o seu adversário nas semifinais da Libertadores, pois o Nacional (Uruguai) recebe o River Plate (Argentina) no Parque Central. Na partida de ida, os argentinos venceram por 2 a 0.

Veja a tabela atualizada da Copa Libertadores.

Categorias
Esportes

Cruzeiro empata com CSA em casa e perde chance de se aproximar do G4

No estádio Independência, em Belo Horizonte, na noite desta terça (15), o Cruzeiro recebeu o CSA (AL) pela 29ª rodada da Série B e acabou empatado por 1 a 1. Antes da partida, o objetivo do técnico Felipão e do elenco da Raposa era conseguir mais três pontos para chegar nos 41 e finalizar o dia na parte de cima da tabela. Só que do outro lado, os alagoanos também tinham os objetivos no torneio. Vencendo e contando com uma derrota do Juventude para o Vitória na outra partida da noite, o CSA assumiria o terceiro lugar (dentro da zona de acesso à elite em 2021).

Cenário apontava um jogo bastante parelho e agitado. E foi isso que aconteceu. As emoções já começaram aos sete minutos. O atacante Nadson dos visitantes bateu forte de longe. A bola desviou e o goleiro Fábio segurou. Mas o lance levou perigo. Quatro minutos depois, o atacante Airton deu uma bomba de longe e forçou o goleiro Matheus Mendes, do CSA, a trabalhar para evitar o primeiro gol. Aos 20, Sobis e, aos 23, Jadson tentaram abrir o placar para o Cruzeiro. Mas não tiveram sucesso.

Logo na sequência, nasceu o gol do CSA. Aos 25, Yago mandou na cabeça do centroavante Pedro, que não perdeu a chance. Mandou para a rede cruzeirense. Quem achava que os visitantes iriam se acomodar com a vitória parcial, estava errado. Aos 32, Nadson roubou a bola do zagueiro Manoel, achou Andrigo bem posicionado e ele bateu cruzado. Depois de desviar na zaga, a bola quase entrou. Muito perigo. Aos 41, o CSA continuava melhor. Foi a vez do Rodrigo Pimpão mandar de cabeça para fora, mas muito perto do gol do Fábio. Aos 46, quem salvou o Cruzeiro foi Manoel. O zagueiro conseguiu chegar a tempo para cortar a finalização do atacante Pimpão.

No início da segunda etapa, o cenário não se alterou muito. A primeira chance foi do CSA. Logo aos dois minutos, Yago cruzou e Cáceres apareceu para salvar o Cruzeiro quando o Andrigo estava pronto para fazer mais um. Só que a partir daí o Cruzeiro foi crescendo no jogo. Aos cinco, Arthur Caíque acertou a rede pelo lado de fora. Um minuto depois, seguiu o bombardeio. E foi a vez do Sobis quase marcar. Aos 10, um balaço do meia Giovanni do meio da rua. E o goleiro do CSA, Matheus Mendes, teve que trabalhar para evitar o empate. Mas, no lance seguinte, não deu. Sobis, muito bem posicionado, aproveitou um rebote para empatar no Independência.

Aos 37, o goleiro Fábio salvou o Cruzeiro no susto quando Pedro Lucas completou de primeira o cruzamento do Diego Renan. Aos 42, Fábio fez outra grande defesa. Victor Paraíba, sozinho na área, bateu e o goleiro salvou o time mineiro.

Esse resultado deixou a Raposa mineira provisoriamente na décima posição com 39 pontos. Já o CSA perdeu uma boa chance de ingressar no G4. O clube de Alagoas fechou a rodada em sexto, com 45 pontos, apenas um de diferença do Juventude (atual quarto colocado). Na sexta-feira (18), o Cruzeiro vai até Florianópolis para enfrentar o Avaí. O CSA vai enfrentar o Juventude em Caxias do Sul no mesmo dia.

Cruzeiro é o décimo colocado na tabela, com 39 pontos. Cruzeiro é o décimo colocado na tabela, com 39 pontos.

Cruzeiro é o décimo colocado na tabela, com 39 pontos. – Bruno Haddad/Cruzeiro/Direitos reservados

Vitória vence Juventude em Salvador

Também nesta noite, no Barradão, o Vitória conseguiu um importante resultado sobre o Juventude e respirou um pouco mais aliviado na tabela de classificação. Venceu por 1 a 0. O gol saiu aos 17 minutos. Léo Ceará aproveitou muito bem para finalizar um contra-ataque puxado pelo Thiago Lopes. Na sequência, o Juventude seguiu com mais posse de bola. Só que as chances eram dos baianos. Aos 21, Matheus Frizzo, e, aos 40 e aos 44, Vico poderiam ter ampliado o placar. Os últimos 45 minutos foram parecidos. O Juventude tinha a bola, mas não conseguia ameaçar. A melhor chance acabou sendo mesmo do Vitória. Em belo contra-ataque, aos 35, Rafael Carioca concluiu e a zaga gaúcha salvou.

Na sexta, o Vitória, que chegou à décima terceira posição, com 36 pontos, ao superar o Juventude, enfrenta o lanterna Oeste em Barueri na sexta (18). Os gaúchos, que seguem no G4 pelo empate do CSA com o Cruzeiro, ocupam a quarta posição com 46 pontos. O próximo jogo será o confronto direto com os alagoanos do CSA, também na sexta, em Caxias do Sul.

Categorias
Esportes

Avaí bate o Sampaio e consegue segunda vitória seguida fora de casa

O Estádio do Castelão, em São Luís (MA), recebeu na noite desta terça-feira (15) o duelo entre Sampaio Corrêa e Avaí pela 29ª rodada da Série B. Confronto de duas equipes que estão na parte de cima da tabela e ainda sonhando com o acesso à elite em 2021. Depois de duas derrotas seguidas fora de casa, os maranhenses entraram em campo na quinta posição com 45 pontos. O Avaí, em sétimo com 43.

O primeiro tempo, com várias chances de gol e um jogo bem movimento, foi bastante digno do momento dos dois times. Logo aos sete minutos, o Avaí já mostrava que estava disposto a incomodar. Em jogada de ex-atletas do Inter, Valdívia bateu o escanteio e o zagueiro Alan Costa cabeceou com muito perigo para fora. Aos 11, foi a vez do Sampaio. O atacante Caio Dantas recebeu o passe e mandou uma bomba para o gol, Gledson salvou os catarinenses.

Na próxima chance do Avaí, a rede balançou. Romulo deu um passe lindo e deixou o uruguaio Gastón Rodriguez em excelentes condições. E o atacante não desperdiçou. Procurando se recuperar, a Bolívia Querida foi para cima. A primeira chance do empate veio aos 29. Pimentinha passou pelo veterano Betão e cruzou na área. Alan Costa, atento, afastou o perigo.

Na reta final do primeiro tempo, teve vários lances de perigo. Valdívia bateu de fora da área com muito perigo. O zagueiro do Sampaio Paulo Sérgio cabeceou e a bola passou raspando a trave. O atacante Getúlio, do Leão, bateu fora de dentro da área e a bola explodiu no poste. Para fechar o movimento primeiro tempo, o meia Marcinho bateu muito bem uma falta da intermediária e a bola passou ao lado do gol do Glédson.

A etapa final começou no mesmo ritmo. Mas com os donos da casa pressionando mais em busca do empate. Tanto que, logo aos 11, surgiu a chance. O veloz atacante Pimentinha arriscou forte de longe e o goleiro Glédson espalmou. Aos 14, mais uma vez. Só que agora o atacante Caio Dantas perdeu a melhor chance para a Bolívia Querida. Ele ficou cara a cara com o goleiro do Leão, tentou tirar com um toquinho. Mas o zagueiro Betão, presente na jogada, acompanhou a bola escorrer pela linha de fundo. Aos 19, surgiu a melhor chance do Avaí na segunda etapa. O volante Pedro Castro ficou na frente do goleiro, mas bateu mal e Gustavo salvou o Sampaio.

Aos 31 e 33 minutos, o Sampaio ainda teve forças para alterar o placar. A primeira oportunidade foi uma boa cobrança de falta do meia Dione. A bola passou muito perto. Depois, Eloir pega uma sobra de um escanteio e quase marcar em um belo chute.

Com o resultado, o Leão fecha a rodada na sétima posição com 43 pontos. O Sampaio Corrêa sai do G4 e ocupa provisoriamente a quinta posição com 45. Se o CSA vencer o Cruzeiro, na partida que começa às 21h30 desta terça, ultrapassa o time da capital do Maranhão. O próximo compromisso do Avaí será dentro de casa contra o Cruzeiro na sexta-feira (18). O Sampaio Corrêa visita o Náutico no sábado.

Categorias
Esportes

Canoa havaiana: remadores irão de Arraial D´Ajuda (BA) a Niterói (RJ)

No Natal desse ano, um grupo de seis velejadores e remadores de Niterói (RJ), Rio de Janeiro (RJ), Vitória (ES) e Regência (ES) partirá para uma aventura e tanto no Oceano Atlântico. A bordo de uma canoa havaiana V6 adaptada com vela, o objetivo do grupo é ficar entre 20 e 25 dias no mar e percorrer as 650 milhas náuticas (aproximadamente 1.200 quilômetros) que separam Arraial D´Ajuda (BA) de Niterói (RJ). Liderados pelo niteroiense Douglas Moura, experiente remador de 39 anos, e pelo capixaba Ranin Thomé, eles não usarão instrumentos eletrônicos, somente carta náutica e bússola.

A tripulação planeja velejar cerca de 30 até 35 milhas náuticas por dia, a depender do vento e condições do mar. “Nosso sonho, nosso marco é chegar em Jurujuba, em Niterói. Esperamos atingir o objetivo. O bacana é navegar durante 20, 25 dias deixando o vento levar, um sentido filosófico e de aprendizado que só o mar proporciona a todos nós”, falou o remador e líder da expedição, Douglas Moura. “Nem sei explicar como e quando eu conheci o Douglas. Foi algo super natural. Estávamos em um evento de surfe. Ele me convidou para escrever um capítulo do livro dele sobre travessias. Foi uma amizade que surgiu do nada e ficou muito forte”, disse o instrutor e atleta de canoa havaiana do clube CPP Extreme, Ranin Thomé. “Essa vai ser a maior travessia já feita no Brasil à vela e a remo também. E a ideia é expandi-la ainda mais no futuro. Estamos fazendo ajustes na vela, ainda não temos o mastro específico. Mas o trabalho está sendo feito para ficar tudo da melhor forma para esse grande desafio”, completou.

Além deles, o grupo terá Tavo Calfat, que também é de Niterói, o carioca Daniel Gnome, a capixaba Dayana Gualberto e Bárbara Guimarães, paulista radicada em Vitória (ES). “O Tavo entende muito de vela. O Daniel tem apenas 25 anos é o nosso mascote, chegou para somar. A Daiana é a namorada do Ranin e tem uma baita experiência em travessias. Sem falar da Bárbara que é instrutora e uma estudiosa de canoa”, comenta Douglas Moura. Além da paixão pelo mar, a Bárbara Guimarães participa da travessia com outro objetivo, comemorar o aniversário no mar. “Já sou instrutora há cinco anos. Participei de várias travessias. E quando vi que essa expedição estaria rolando no meu aniversário, que é no dia quatro de janeiro, decide abraçar a ideia”, falou a oceanógrafa. O grupo terá alimentação e os respectivos colchões de dormir dentro da canoa e planejam paradas em bases ao longo do sul da Bahia, Espírito Santo e o estado do Rio de Janeiro. Quando necessário vão se alimentar no mar.

EXPERIÊNCIA NO MAR

Não é a primeira vez que Douglas comanda a Expedição Anamauê. No fim de 2017 e começo de 2018, ele e tripulação ficaram 10 dias navegando. Na época, saíram de Niterói (RJ) e chegaram em Santos (SP) também com uma canoa havaiana. Nos anos seguintes, a Anamauê realizou expedições de Santos (SP) para Ubatuba (SP) e de Ubatuba (SP) para a volta na Ilhabela (SP) e São Sebastião (SP).

HISTÓRIA DE ESPORTE

A canoa havaiana ou Polinésia é originalmente conhecida como Va´A, Wa´A ou Waka. É uma cultura que existe há mais de 3 mil anos. Atualmente, somente em Niterói (RJ) são 33 clubes de canoa com cerca de dois mil remadores. No Espírito Santo são 21 clubes e cerca de 1.500 remadores.

Categorias
Esportes

Mariana Miné assume cargo mais alto da Confederação de Rugby

A administradora de empresas Mariana Miné é a nova chefe executiva (CEO, sigla em inglês) da Confederação Brasileira de Rugby (CBRu). Primeira mulher a assumir o cargo, ela toma posse na próxima quinta-feira (17) no lugar de Jean-Luc Jadoul, que ocupou o posto por um ano e três meses.

“É um orgulho poder contribuir para o crescimento do rugby no Brasil, um esporte fundamentado em valores tão fortes e que pode contribuir muito para a formação de um Brasil melhor”, comentou a nova CEO da CBRu, em comunicado à imprensa divulgado pela entidade nesta terça-feira (15).

Graduada na Fundação Getúlio Vargas (FGV), Mariana tem passagens por grandes empresas comerciais, além de ser fundadora e chefe executiva de um empreendimento no ramo de alimentos para animais de estimação. Ela foi selecionada em um processo conduzido por um comitê de seis conselheiros – entre eles, Marjorie Enya, ex-gerente da seleção feminina de rugby e primeira brasileira a integrar o Conselho da World Rugby, federação internacional da modalidade.

O rugby brasileiro terminou a temporada 2020 com bons resultados nas competições de sevens – formato olímpico da modalidade, com sete jogadores de cada lado e partidas mais curtas. As Yaras (equipe feminina) confirmaram a supremacia regional ao levarem o título sul-americano pela 18ª vez. Os Tupis (time masculino) ficaram com o vice continental, em campanha marcada por uma vitória histórica e inédita, na primeira fase, sobre a campeã e favorita Argentina.

A seleção feminina, com o título sul-americano de 2019, tem vaga garantida na Olimpíada de Tóquio (Japão) em 2021. A masculina disputará uma repescagem mundial no ano que vem, em data que ainda será confirmada.

Categorias
Esportes

Fora de casa, Cuiabá supera lanterna Oeste e avança na Série B

Na tarde desta terça-feira (15), na Arena Barueri, o Cuiabá venceu o Oeste pela 29ª rodada da Série B. A equipe de São Paulo, que vive uma situação dramática no campeonato, bem que tentou começar a partida pressionando. Até os 22 minutos da etapa inicial, o Oeste conseguia manter um duelo equilibrado e chegou a criar dois lances de gol. Um logo no início com Fábio chutando fraco e perdendo uma boa oportunidade. O outro com o volante Maurício Barbosa, que apareceu na segunda trave e desviou de cabeça para fora uma cobrança de falta.

Mas, aos 27, a maior qualidade do Cuiabá, que briga por uma vaga à elite do futebol brasileiro na próxima temporada, fez a diferença. O meia Felipe Marques deu um belíssimo passe para o centroavante Elton. Na cara do goleiro Caíque França, ele bateu forte e abriu o placar. Em vantagem no placar, os visitantes passaram a administrar a partida. Inclusive, aos 36, quase marcaram mais um. O volante Pierini recebeu livre na entrada da área um belo passe de Elton, mas a finalização desviou na zaga e saiu pela linha de fundo, com muito perigo.

Na segunda etapa, já com várias alterações efetuadas pelos dois técnicos, o Oeste conseguiu criar a melhor chance da partida aos 24 minutos. O atacante Pedrinho recebeu um bom passe e chutou rasteiro de longe. A bola bateu na trave e foi pela linha de fundo. Como quem não faz acaba levando, o Oeste sofreu o segundo gol aos 31. Yago tentou a finalização, a bola desviou na zaga e sobrou para Jenison, na marca do pênalti. Ele deu um biquinho no canto e fechou o placar. Vitória para o Cuiabá por 2 a 0 sobre o Oeste.

O time da grande São Paulo, último colocado com apenas 16 pontos, 15 a menos do que o Figueirense (primeiro fora da zona de rebaixamento), volta a jogar na sexta (18), quando recebe o Vitória na Arena Barueri. O Cuiabá, que antes do encerramento da rodada é o terceiro colocado com 47 pontos, recebe o Operário (PR) também na sexta na Arena Pantanal.

 

Categorias
Esportes

Coluna – Rivalidade e resultados motivam redes sociais dos clubes

O ambiente digital foi um dos que mais sofreram transformações em um 2020 tão atípico. E no futebol não foi diferente. Sem a possibilidade de ir aos estádios, e com mais tempo para usar as redes sociais, torcedores aderiram às muitas plataformas existentes para curtirem, acompanharem e criticarem seus clubes. Mas os resultados divulgados pelo Ibope/Repucom em dezembro, referentes ao mês de novembro, chamam a atenção para uma curiosidade: nem só de resultados é pavimentado um crescimento. Nessa hora, a rivalidade e o bom humor também contribuem de forma decisiva.

E o Íbis, de Pernambuco, é a prova disso. Pelo segundo mês consecutivo o clube apareceu entre os cinco que mais cresceram no mês, com 64 mil novos inscritos em suas redes sociais em novembro. O número de seguidores do Íbis no Instagram subiu 64% no bimestre, o que levou os pernambucanos ao 28º lugar no ranking, com mais de 645 mil seguidores. E vale salientar que o Íbis não tem conta no YouTube, nem no Tik Tok, rede social que mais impactou o crescimento dos clubes no mundo virtual, e que respondeu por 33% de participação no acumulado de 2020. O perfil do clube se destaca pelas postagens com provocações aos rivais, sejam, ou não, eles do mesmo estado ou país.

Já os bons resultados dentro de campo beneficiaram o São Paulo, atual líder do Brasileirão. Em terceiro lugar no ranking digital geral, o Tricolor paulista ganhou 175 mil novos inscritos em novembro e superou a marca de 16 milhões de seguidores. Esta foi a sétima aparição do clube, em 2020, entre os cinco maiores crescimentos mensais, com destaques para Facebook, Twitter e Youtube, onde apareceu em segundo lugar. Em tese, deverá apresentar números positivos no fechamento da temporada, já que a boa fase no campeonato deverá se manter até o fim do ano.

O que não muda é o desempenho do Flamengo, que, mesmo sem provocar os adversários e sem resultados tão expressivos, continua à frente no geral (com mais de 36,8 milhões de seguidores, e liderando o crescimento em todas as plataformas pelo 23º mês consecutivo). Foram 505 mil novos inscritos, número considerado baixo para os rubro-negros, já que a média mensal é de quase 800 mil novos seguidores.

Dos 50 clubes analisados no ranking digital Ibope/Repucom, 44 já adotam o Tik Tok, que respondeu por 7,3 milhões novas inscrições no ano, do total de 22,2 milhões entre janeiro e novembro. Desde o início da apuração do ranking, em 2017, esse é o ano de maior captação de novos seguidores, e ainda faltam os números de dezembro. O Instagram, que se destacou em novembro com números que alavancaram o desempenho do Corinthians (segundo colocado no geral, com 24,9 milhões de seguidores), tem 31% de participação na marca geral, seguido pelo YouTube, com 29%. O Twitter cresceu apenas 8% e o Facebook se manteve estável na temporada.

* Sergio du Bocage é apresentador do programa No Mundo da Bola, da TV Brasil