Categorias
Esportes

Luxemburgo segue internado com quadro estável no Sírio Libanês, em SP

O técnico Vanderlei Luxemburgo, de 68 anos, hospitalizado na noite de ontem (14) com sintomas do novo coronavírus (covid-19), apresenta quadro estável, mas não tem previsão de alta. No início da tarde desta terça-feira (15) a equipe médica do Hospital Sírio Libanês divulgou o primeiro boletim sobre a saúde do treinador. 

“O senhor Vanderlei Luxemburgo da Silva deu entrada no Hospital Sírio-Libanês, dia 11 de dezembro, diagnosticado com Covid-19, com quadro moderado.  Ele foi medicado e seu estado clínico é estável, sem necessidade de oxigenoterapia. O paciente deverá permanecer internado, sem previsão de alta, e está sendo acompanhado pela equipe médica coordenada pelo Prof. Dr. Esper Kallas”, diz a nota publicada no site da instituição.

Segundo a assessoria de Luxemburgo, em matéria da agência Reuters, o treinador já testara positivo para covid-19 em julho, quando ainda comandava o Palmeiras. O treinador, que atualmente está sem clube, estava no Rio de Janeiro quando começou a se sentir mal e apresentou sintomas da doença.  Ele viajou com uma filha de carro para São Paulo e fez exames, que deram positivo para a covid-19. 

Categorias
Esportes

Morre jornalista Orlando Duarte, aos 88 anos, vítima de covid-19

Faleceu nesta terça-feira (15) o jornalista e comentarista esportivo Orlando Duarte, vítima de complicações do novo coronavírus (covid-19). Ele tinha 88 anos e estava internado há três semanas em um hospital de São Paulo.

Orlando nasceu em 18 de fevereiro de 1932 na cidade paulista de Rancharia, a cerca de 530 quilômetros da capital do estado. Esteve na cobertura jornalística de 14 Copas do Mundo e dez edições de Olimpíadas. Trabalhou nas TVs Globo, Band, Gazeta, SBT e Cultura e nas rádios Bandeirantes, Gazeta, Trianon e Jovem Pan, passando pela Rádio Nacional em 2014, onde comentou o Mundial disputado no Brasil.

Ele também escreveu mais de 30 livros sobre esportes, ganhando o apelido de “eclético”. Entre as principais obras, estão as que publicou a respeito do Rei Pelé, das histórias olímpicas e das Copas e do chamado Trio de Ferro da capital paulista: São Paulo, Corinthians e Palmeiras. Os clubes relembraram os livros em postagens no Twitter lamentando o falecimento do comentarista, que desde 2018 sofria do Mal de Alzheimer.

Como torcedor, era fã da Portuguesa e do Vasco. Em 1963, Orlando chegou a dirigir a Lusa em um amistoso durante uma excursão à Alemanha, em substituição ao então técnico Otto Glória, que estava doente. Também em postagem no Twitter, o clube paulista manifestou pesar pelo falecimento do jornalista, que estava afastado da crônica esportiva desde 2012.

Categorias
Esportes

Brasileira herda prata do Parapan após punição a norte-americana

A mineira Poliana Sousa herdou a medalha de prata do lançamento de dardo nos Jogos Parapan-Americanos de Lima (Peru), em 2019, na classe F54 (cadeirantes com baixo controle de tronco). A brasileira se beneficiou da suspensão de quatro anos por doping da norte-americana Sebastiana Lopez, decretada pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês).

Poliana Souza compete no lançamento do dardo no Parapan de Lima, no Peru, em 2019.Poliana Souza compete no lançamento do dardo no Parapan de Lima, no Peru, em 2019.

Poliana Souza compete no lançamento do dardo no Parapan de Lima, no Peru, em 2019. – Douglas Magno / EXEMPLUS / CPB

Segundo o IPC, o exame de Lopez, feito em 26 de agosto do ano passado durante o Parapan de Lima, detectou a substância proibida GW501516, classificada pela Agência Mundial Antidoping (Wada) como modulador hormonal e metabólico. A norte-americana teve todos os resultados obtidos em Lima desconsiderados, inclusive o recorde mundial no lançamento do disco. Ela só poderá voltar a competir em 4 de setembro de 2023.

A prova do lançamento do dardo na classe F54 foi vencida pela colombiana Yanive Martínez. Com a punição a Lopez, a chilena Francisca Mardones herdou a medalha de bronze.

Natural de Uberaba (MG), Poliana lesionou a coluna aos quatro anos, após um atropelamento. Na Associação do Deficientes Físicos da cidade em que nasceu (Adefu), conheceu várias modalidades adaptadas, apaixonando-se pelo atletismo. Participou das Paralimpíadas de 2008 (Pequim, na China) e 2016 (Rio de Janeiro). Na última edição dos Jogos, foi a quinta do arremesso de peso e a sexta do lançamento de dardo.

 

Categorias
Esportes

CBF divulga datas e horários das oitavas de final da Série D

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou as datas e horários dos confrontos pelas oitavas de final da Série D do Campeonato Brasileiro – confira no fim do texto a relação completa de confrontos. A TV Brasil transmitirá ao vivo quatro partidas, sendo dois jogos de ida e dois de volta. O primeiro deles será Goiânia-GO e  Novorizontino-SP, no próximo sábado (19), às 16h (horário de Brasília) direto do estádio Olímpico, em Goiânia. No domingo (20), no mesmo horário, será exibido o duelo entre Salgueiro-PE e Altos-PI, que se enfrentam no estádio Cornélio de Barros, em Salgueiro (PE).

Na próxima semana, no sábado (26), a TV Brasil  transmite a partida de volta entre Fast Clube-AM e Globo-RN, que jogam na Arena da Amazônia, em Manaus, às 17h. E no domingo (27),  o segundo embate entre Brasiliense-DF e Mirassol-SP, que duelam no estádio Boca do Jacaré, em Taguatinga (DF), às 15h

Os oito clubes que se classificarem às quartas de final serão distribuídos conforme as campanhas. O time de melhor desempenho enfrenta o oitavo, o segundo pega o sétimo, o terceiro enfrenta o sexto e o quarto encara o quinto. As quatro equipes que forem às semifinais garantem o acesso à Série C em 2021. Os duelos das quartas estão previstos para ocorrer entre os dias 2 e 10 de janeiro.

Jogos de ida

Sábado (19)

15h30 – Juventude Samas-MA x Floresta-CE

16h – Marcílio Dias-SC x Goianésia-GO

16h – Goiânia-GO x Novorizontino-SP – (transmissão TV Brasil)

Domingo (20)

15h – Globo-RN x Fast Clube-AM

15h30 – Mirassol-SP x Brasiliense-DF

16h – Salgueiro-PE x Altos-PI  (transmissão TV Brasil)

17h – São Luiz-RS x Aparecidense-GO

18h – Galvez-AC x América-RN

Jogos de volta

Sábado (26)

17h – Fast Clube-AM x Globo-RN  (transmissão TV Brasil)

Domingo (27)

15h – Brasiliense-DF x Mirassol-SP (transmissão TV Brasil)

15h45 – Altos-PI x Salgueiro-PE

16h – Floresta-CE x Juventude Samas-MA

16h – América-RN x Galvez-AC

16h – Goianésia-GO x Marcílio Dias-SC

18h – Aparecidense-GO x São Luiz-RS

18h – Novorizontino-SP x Goiânia-GO

Categorias
Esportes

Seleção da Bola de Ouro tem Pelé, Ronaldo e Cafu

Após cancelar a edição 2020 do prêmio Bola de Ouro, dado aos destaques da temporada do futebol, devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19), a revista France Football elegeu os onze melhores jogadores de todos os tempos por posição. O time dos sonhos da Bola de Ouro – nome dado à premiação especial – foi divulgado nesta segunda-feira (14) com três brasileiros: Pelé, Ronaldo e Cafu. O Brasil é o país com mais representantes, a frente de Argentina, Alemanha (ambos dois), Portugal, Rússia, Espanha e Itália.

A eleição computou votos de 140 especialistas selecionados pela publicação. Para cada uma das vagas, foram indicados dez nomes, escalados na formação 3-4-3. O russo Lev Yashin foi o escolhido para o gol. Na trinca defensiva, o alemão Franz Beckenbauer e o italiano Paolo Maldini fazem companhia a Cafu, descrito pela revista como sendo “modelo na posição de lateral-direito, que era capaz de defender solidamente, mas também de seguir em frente e se tornar um verdadeiro atacante”.

Pelé foi inserido no meio-campo, com o alemão Lotthar Matthäus, o espanhol Xavi e o ídolo argentino Diego Maradona. A publicação dá um destaque especial à dupla entre os eternos camisas 10 de Brasil e Argentina. “Imagine esses dois [Pelé e Maradona], no auge, alinhados em um campo”, escreve a revista.

Já o trio de ataque tem o argentino Lionel Messi à direita, o português Cristiano Ronaldo à esquerda e Ronaldo Fenômeno centralizado. “Se imaginarmos que Pelé, Maradona, Cristiano Ronaldo, Messi e até outros consigam marcar [gols], na finalização, para apurar os gols, é Ronaldo Luiz Nazário de Lima o escolhido pelos jurados”, descreve a publicação, destacando que o posto de centroavante teve votação mais disputada.

A France Football também montou outras duas seleções de lendas, conforme a votação recebida. A equipe B teve quatro brasileiros: Carlos Alberto Torres e Roberto Carlos formaram a defesa com o italiano Franco Baresi, enquanto Ronaldinho Gaúcho e Garrincha foram escalados no trio ofensivo ao lado do holandês Johan Cruyff. Os italianos Gianluigi Buffon (goleiro) e Andrea Pirlo (meio-campo), o argentino Alfredo Di Stefano e o francês Zinedine Zidane (ambos meio-campo) completam o time.

A seleção C tem o bicampeão mundial Didi formando o quarteto de meio-campo com o espanhol Andrés Iniesta, o holandês Johan Neeskens e o francês Michel Platini. O terceiro time do prêmio tem o alemão Manuel Neuer no gol, os também alemães Philipp Lahm e Paul Breitner e o espanhol Sergio Ramos na defesa, e um ataque com o holandês Marco Van Basten, o francês Thierry Henry e o norte-irlandês George Best.

Categorias
Esportes

Carol Meligeni encerra temporada com mais um título no Egito

O final da temporada de 2020 está sendo muito especial para a tenista Carol Meligeni. Depois de duas semanas no Egito, a brasileira retorna ao país cheia de conquistas. Neste domingo (13), ela fez o 15º jogo com apenas uma derrota nesse período.

A vitória mais recente foi contra a russa Elina Avanesyan por 2 sets a 0 (6/0 7/5), e deu à tenista de Campinas o segundo título nos três torneios disputados e a quinta conquista dela na carreira.

“Muito feliz com a vitória, foram três semanas incríveis pra mim com três finais, dois títulos, muitos jogos, que era meu objetivo aqui fazer muitas partidas, somar pontos e terminar o ano de uma melhor maneira e feliz de ter alcançado esses objetivos e ter sido campeã com apoio do meu time da ADK Tennis”, comemorou Carol à assessoria de imprensa.

“Até mencionei antes que a temporada não vinha sendo muito boa em termos de resultados então por isso optei fazer uma última gira para obter essas sensações, e me encontrando. Vinha me sentindo jogando bem faz tempo, mas os resultados não encaixavam , mas que poderia acontecer em breve. Optei não terminar o ano após o Circuito BRB (em Brasília) e sim fazer mais uma gira e foi ótimo, foi uma boa escolha ter insistido e ficado firme mentalmente para terminar bem o ano e agora ir bem para a pré-temporada com a equipe da ADK Tennis em Itajaí (SC) e buscar um 2021 de boas vitórias e evolução.

Nesta segunda (14), ela apareceu no 384º lugar do mundo, somando os pontos da final da semana anterior. Na próxima atualização, a brasileira deve estar entre as 370 melhores, assumindo o posto de 3ª do ranking nacional.

Categorias
Esportes

Operário (PR) vence Ponte Preta (SP) e respira na Série B

No Estádio Germano Krüger, na noite desta segunda-feira (14), Operário (PR) e Ponte Preta (SP) se enfrentaram na abertura da 29ª rodada da Série B. Encontro de duas equipes em posições parecidas na tabela de classificação e buscando recuperação.

O Operário (PR), sem vencer há quatro jogos e com apenas uma vitória nos últimos sete jogos, chegou na rodada em décimo terceiro com 35 pontos. A Ponte Preta vinha de duas derrotas seguidas, demissão do técnico Marcelo Oliveira e a nona posição na tabela com 40 pontos.

Entre os pressionados, quem se deu melhor foram os anfitriões. E logo no início do jogo. Aos cinco minutos, o meia Rafael Oller chutou da entrada da área, o goleiro Ygor, da Ponte, deu rebote e o atacante Ricardo Bueno não perdoou e abriu o placar para o Operário. 

Aos 17, a segunda boa chegada do Operário. Douglas Coutinho fez uma boa jogada, partindo da esquerda para o meio. Da entrada da área, ele bateu rasteiro, mas a bola não saiu tão forte assim. O goleiro Ygor tentou segurar e a bola passou por baixo dele. Para a sorte do jogador da Ponte, a bola seguiu apenas para escanteio.

Aos 49, os jogadores chegaram a reclamar a marcação de um possível pênalti que teria sido cometido pela zaga do Operário em cima do atacante Bruno Rodrigues. Mas a arbitragem não marcou nada.
Esse foi o resumo da primeira etapa, sem nenhuma chegada digna de registro da Ponte Preta.

No segundo tempo, aos 11 minutos, a equipe da Ponte Preta ficou com um atleta a menos. O zagueiro Ruan Renato é expulso depois de uma entrada forte no Rafael Oller. Só que foi a partir daí que a Macaca esteve mais perto do gol adversário. A primeira chance veio aos 29, quando Douglas Coutinho passou pela marcação e finalizou forçando o goleiro Ygor a trabalhar. Aos 35, outra oportunidade. Depois de uma boa cobrança de falta, quase que o zagueiro Reniê marcou contra. Aos 36, de novo a Ponte. O Operário saiu jogando mal, a Macaca tenta duas vezes e a zaga salva.

Aos 43, a chance final. Lazaroni cruzou na área, Apodi cabeceou, mas Ricardo Silva salvou aquele que seria o gol de empate da Ponte. Então, o jogo ficou nisso mesmo: Operário 1 a 0 na Ponte Preta.
Com o resultado, o Operário (PR) ficou em décimo segundo com 38 pontos. A Ponte Preta segue em nono com 40. Só que esse foi apenas o primeiro jogo da rodada, que só vai encerra-se na quinta-feira (17).

O Operário volta a jogar na sexta-feira (18) contra o Cuiabá na Arena Pantanal. A Ponte visita o Confiança no sábado (19) no Batistão.

Categorias
Esportes

Série D: times goianos são maioria nos confrontos das oitavas de final

O funil está cada vez mais estreito. Daqueles 68 times que começaram a Série D, seguem vivos apenas 16. A rodada do final de semana definiu quem segue sonhando por uma das quatro vagas à Série C de 2021. Os confrontos do mata-mata ocorrerão de 20 a 27 de dezembro, mas as datas e locais específicos ainda serão definidos pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Depois de dois empates por 1 a 1, o Juventude Samas-MA assegurou a vaga após vencer o Bragantino-PA nos pênaltis por 4 a 3. O adversário nas oitavas será o Floresta-CE que passou pelo Itabaiana-SE, depois de vencer em casa por 2 a 1 e empatar fora em 2 a 2.

O Galvez-AC, depois de ficar no 0 a 0 em casa com o River do Piauí, venceu fora por 1 a 0 e se classificou. No mata-mata o time acreano vai encarar o América-RN, que havia perdido para o Coruripe-AL fora de casa por 1 a 0, mas em Natal avançou com folga, depois de aplicar uma goleada de 5 a 0 no adversário.

O Salgueiro-PE reverteu a derrota por 4 a 3 fora de casa com uma goleada por 4 a 0 sobre o Vitória da Conquista-BA. O Time pega o Altos do Piauí, que passou pelo Rio Branco-AC com duas vitórias – por 2 a 0 fora de casa, e depois 3 a 1. O Globo-RN ganhou em casa do ABC-RN por 2 a 1 e administrou a vantagem em Natal para avançar com um empate em 1 a 1. A equipe potiguar enfrenta o Fast-AM, que se classificou ao vencer o Moto Club-MA nos pênaltis, por 6 a 5.  O duelo entre Fast-AM e Moto Club-AM teve transmissão ao vivo, neste domingo (13), na TV Brasil.

O único time gaúcho ainda vivo na Série D é o São Luiz-RS. Depois do 1 a 1 com a Cabofriense-RJ fora de casa, a equipe venceu em casa por 2 a 0 e avançou para pegar a Aparecidense-GO, classificada com um empate e uma vitória no duelo contra o Tupynambás.

A Ferroviária-SP ficou pelo caminho ao perder para o Marcílio Dias-SC, em Santa Catarina, por 2 a 1. Agora o Marcílio-SC pega o Goianésia-GO, classificada no duelo do Centro-Oeste brasileiro contra o Gama-DF.

O Caxias-RS havia vencido em casa o Mirassol-SP por 1 a 0,  mas perdeu também por 1 a 0 em São Paulo, e na definição por pênaltis deu Mirassol por 3 a 0. A equipe paulista vai pegar o Brasiliense–DF, dono da melhor campanha do torneio até o momento, com 37 pontos. Na segunda fase da Série D, o time do Distrito Federal eliminou o Real Noroeste-ES com um empate (1 a 1) e uma goleada por 3 a 0. O último duelo das oitavas terá o Goiânia-GO – classificado após empatar com o Atlético da Bahia em 1 a 1 e depois vencê-lo 3 a 2, e o Novorizontino-SP, que avançou após eliminar o FC Cascavel-PR: primiero perdeu por 1 a 0, mas no jogo seguinte selou a classificação com vitória por 3 a 0.

As oitavas de final seguem utilizando o mesmo regulamento da segunda fase, com as decisões ocorrendo em jogos de ida e volta. O não gol fora de casa não vale como critério de desempate.

O estado de Goiás é aquele que tem mais representantes (Aparecidense, Goiânia e Goianésia). São Paulo e Rio Grande do Norte têm dois times cada um: Novorizontino e Mirassol do lado dos paulistas, e Globo e América representam os potiguares. 

Categorias
Esportes

Coluna – Em transição

O trânsito na volta para casa não abala o ânimo de André Rocha. Ele encara o caminho do Rio de Janeiro até Taubaté (SP) com a sensação de dever cumprido. No domingo (13), horas antes de por o pé na estrada, conquistou o quarto lugar no Campeonato Brasileiro de Tiro Esportivo na prova R4 (o chamado “tiro em pé”, em que o atirador não pode se apoiar na base) da classe SH2 (atletas que precisam de suporte para a arma). Foi a primeira vez que o paulista disputou para valer uma competição nacional da modalidade.

“No ano passado, participamos de forma informal, para conhecer a modalidade. De lá para cá, teve um crescimento interessante. Na prova do sábado [12], da R5 [em que o atirador apoia o cotovelo na mesa, o “tiro deitado”], não me saí muito bem, finalizei em quinto. Já no domingo, por muito pouco não pegamos o pódio. Acho que estava mais tranquilo e consegui controlar mais a respiração. Estamos iniciando, há muito trabalho a ser feito”, conta André, que fala no plural por ter o auxílio do filho no abastecimento da arma nas disputas.

André pode ser novo no tiro esportivo, mas não no paradesporto. O paulista de 43 anos fez história no atletismo, com recordes mundiais no lançamento do disco (prova na qual foi campeão mundial em 2017) e no arremesso do peso, nas classes F52 e F53 (cadeirantes com baixo controle de tronco). Foi a modalidade que abraçou em 2013, em um programa de esporte da prefeitura de Taubaté, oito anos após o acidente que o deixou paraplégico – ele era policial militar e caiu de um muro durante a perseguição a um assaltante.

André Rocha conquistou o ouro no Mundial em 2017André Rocha conquistou o ouro no Mundial em 2017

André Rocha conquistou o ouro no Mundial em 2017, por Ivo Felipe/ CPB/ Divulgação/ Direitos Reservados

Segundo ele, a ideia era mudar de modalidade após a Paralimpíada de Tóquio (Japão), adiada para o ano que vem. A reclassificação funcional – processo que define o tipo e o grau da deficiência e qual a categoria do atleta – pela qual passou antes dos Jogos Parapan-Americanos de Lima (Peru), em 2019, fez com que decidisse antecipar os planos.

“Eu já passei por várias reclassificações, mas me mantinha na F53. Em Lima, passei por uma reclassificação onde me colocaram na F54 [menor grau de comprometimento físico-motor em relação a F53], que é uma classe que hoje não me pertence. No início da carreira sim, pois eu não tinha problema de membro superior. De 2016 para cá, passei a ter esse problema, tanto que cheguei a ser F52”, explica André, que em 2017, meses antes do Mundial, precisou realizar uma nova cirurgia devido à piora da lesão na coluna.

“Foi uma infelicidade de quem fez [a classificação], porque tirou minha possível medalha [de ouro] em Lima e a classificação direta para a Paralimpíada. Tirou mais uma vez a chance de defender meu país em uma Paralimpíada e trazer uma medalha. Tinha essa pretensão de ir para o tiro após Tóquio, fazer uma coisa gradativa, de forma tranquila. Como minha lesão aumentou, o tiro é um esporte que dá essa longevidade”, lamenta o paulista, que conquistou a medalha de bronze no arremesso do peso do Parapan, na classe F54.

Atleta conquistou o bronze no Parapan de Lima em 2019Atleta conquistou o bronze no Parapan de Lima em 2019

Atleta conquistou o bronze no Parapan de Lima em 2019 – Daniel Zappe/ Exemplus/ CPB/ Divulgação/ Direitos Reservados

Nas palavras dele próprio, a mudança do atletismo para o tiro esportivo foi “radical”. O fato de ter sido policial militar, de acordo com André, não impacta tanto.

“O que auxilia é não ter o gelo de usar o armamento. Em contrapartida, é totalmente diferente. Um pequeno erro te coloca lá embaixo na pontuação. São adaptações, o conhecimento do material, das regras. O atletismo tem muita explosão, uma vibração diferenciada. O tiro é muito técnico, respiração. Você realmente tem de estar bem, focado, calmo, com o equipamento todo em dia. É tudo muito novo para mim, mas, assim como no atletismo eu tive meu início, está sendo assim no tiro. Estou tendo muita ajuda e apoio”, conta André, destacando o atirador Alexandre Galgani – que também é da classe SH2 e foi o primeiro atleta do país a se garantir na Paralimpíada de Tóquio – como um dos que mais o tem auxiliado.

Outro desafio do novo esporte é o custo para aquisição e manutenção dos equipamentos, como arma e munição. Segundo ele, os apoios da prefeitura de Taubaté e do Bolsa Atleta – do qual faz parte, por conta do atletismo – e o suporte da família têm sido fundamentais na transição. O paulista conta que, na volta do Parapan de Lima, a esposa vendeu o carro dela para que fosse possível comprar o armamento. Treinando no estande do Federal Clube, em Taubaté, André está de olho na Paralimpíada de Paris (França), daqui três anos.

“Não vim para o tiro esportivo brincar, distrair a cabeça. Pelo contrário. Sou muito competitivo e gosto desse clima. Acredito que para Tóquio, realmente, está muito difícil, muito em cima, não tenho nem classificação internacional ainda. Ao longo desses três, quatro anos, quero adquirir experiência. Se tiver a oportunidade de ir para fora [competir], quero sim. É importante para conhecer e amadurecer na modalidade. Para 2024, não tenha dúvidas que se tudo caminhar como eu pretendo que caminhe, vou brigar por vaga”, afirma.

“Infelizmente, a vaga [para Tóquio] me foi tirada no atletismo [com a subida de classe], não tem outra maneira de falar. Mas vou lutar para que, na próxima [Paralimpíada], eu consiga representar meu país como sempre fiz”, conclui André, que ainda disputará alguns torneios no atletismo em 2021, mas pretende focar 100% no tiro esportivo a partir de 2022.

Categorias
Esportes

Rugby: Brasil volta do Chile com o vice-campeonato Sul-Americano

Neste domingo (13), a seleção brasileira masculina de rugby sevens, conhecida como Tupis, encerrou o Sul-Americano com o vice-campeonato. No evento disputado no Chile, apesar do segundo lugar, o Brasil fez história na primeira fase. Depois de empatar com o Chile em 12 a 12 na estreia, os Tupis fizeram 19 a 10 na seleção da Argentina, a primeira vitória da história do Brasil sobre a equipe principal dos argentinos no rugby sevens. Na sequência, o Brasil também venceu o Uruguai por impressionantes 45 a 0 para ficar com o primeiro lugar na classificação geral durante o primeiro dia de competições. No segundo dia, a fase final iniciou vencendo o Uruguai, por 27 a 0, pelas semifinais. Na decisão veio o segundo vice-campeonato seguido, quando o Brasil foi derrotado por 26 a 14 pelos argentinos.

Tupis e Pumas se enfrentaram na final do sul-americano de rugby, com vitória argentina.Tupis e Pumas se enfrentaram na final do sul-americano de rugby, com vitória argentina.

Tupis e Pumas se enfrentaram na final do Sul-americano de rugby sevens, com vitória argentina. – Francisco Fuenzalida – Chile Rugby

Não foi a primeira vez que os brasileiros conseguiram esse feito, já que os Tupis ganharam da Argentina por 7 a 0, no Sul-Americano de Sevens de 2011, mas foi o primeiro triunfo brasileiro sobre o time principal do rival.

“O rugby brasileiro tem um desafio constante que é realizar conquistas inéditas. O crescimento passa por fazer coisas importantes sempre pela primeira vez. E a verdade é que este grupo soma ao seu histórico grandes primeiras conquistas pela seleção brasileira. A vitória contra os Pumas Sevens passa por aí. Já havíamos ganhado da Argentina em um torneio sul-americano de sevens em 2011, mas eles não estavam com a equipe principal. Desta vez, podemos dizer que vencemos a primeira equipe da Argentina. Estas conquistas servem para nos dar esperança, ampliar nossos horizontes e aumentar o número de pessoas que nos apoiam e passam a acreditar que é possível ser grande nesta modalidade”, exaltou o treinador, ou head coach, da seleção brasileira, Fernando Portugal.

“Foi impressionante disputar um torneio desse nível depois de um ano como esse. Foi quase perfeito para nós. A derrota faz parte do esporte. Apesar disso, o mais importante foi acreditar que as coisas vão melhorar. Para os Tupis 7s, o objetivo do próximo ano é a disputa das eliminatórias para os Jogos Olímpicos. Ainda não temos as datas, mas vamos nos preparar para a disputa dessa competição, que é o foco do sevens brasileiro. Também seguimos com o desenvolvimento do rugby XV”, disse Moisés Duque, capitão dos Tupis.

“Seguimos com o desenvolvimento do rugby no Brasil”, disse Moisés Duque, capitão dos Tupis 7s. – Francisco Fuenzalida – Chile Rugby

Em 2021, os Tupis 7s terão a disputa da repescagem mundial, com data ainda a ser confirmada, para a busca da vaga nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Além do Brasil, a América do Sul também contará com a participação do Uruguai neste torneio olímpico. A Argentina já está classificada para Tóquio no masculino.