Categorias
Esportes

Olimpíada: Brasil chega a uma final e em duas semifinais na natação

O revezamento 4×100 metros livre do Brasil foi o grande destaque da equipe nacional nas disputas da manhã deste domingo (25) na Olimpíada, no Centro Aquático de Tóquio. O time formado por Breno Correia, Pedro Spajari, Gabriel Santos e Marcelo Chierighini fez o quinto tempo com 03min12seg59 e está na briga por medalha.

Nas provas individuais, os brasileiros conseguiram duas vagas às semifinais. Fernando Scheffer, nos 200 m livre, fez o segundo melhor tempo (01min45seg05). Nos 100 m costas, Guilherme Guido avançou com 11º melhor tempo (53seg65).

Ainda na prova dos 200 m livre, Murilo Sartori fechou a bateria em último, com 01min47seg11, e não conseguiu se classificar. Nos 100 m costas, Guilherme Basseto fez 53seg84 e acabou eliminado. As provas decisivas ocorrem na noite deste domingo (25).

Categorias
Esportes

Prata de Kelvin Hoefler é a primeira medalha brasileira em Tóquio

A primeira medalha brasileira na Olimpíada de Tóquio 2020 veio do skate, modalidade estreante nos Jogos Olímpicos nesta edição, na madrugada deste domingo (25), no Parque de Esportes Urbanos de Ariake. No street masculino, Kelvin Hoefler ficou com a prata somando 36,15 pontos. O ouro foi do japonês Yuto Horigomi (com 37,18 pontos) e o bronze ficou com o americano Jagger Eaton somando 35,35.

O brasileiro chegou a liderar boa parte da final, mas acabou sendo ultrapassado pelo representante do Japão durante a prova das manobras individuais. Em alguns momentos, inclusive, ele estava fora da zona de medalhas, mas se recuperou de forma espetacular e fazendo a melhor nota na última manobra, garantiu a medalha.

O outro brasileiro na competição, Felipe Gustavo, o Bochecha, acabou eliminado na fase inicial.

Categorias
Esportes

Olimpíada: Brasil empata com Costa do Marfim no futebol masculino

O Brasil ficou no 0 a 0 com a Costa do Marfim na madrugada deste domingo (25) pela 2ª rodada do futebol masculino da Olimpíada de Tóquio 2020. A partida foi disputada no estádio de Yokohama.

A seleção nacional acabou jogando desde os 13 minutos do primeiro tempo com um jogador a menos, já que o volante Douglas Luiz foi expulso com auxílio do VAR em lance muito discutível. O número de atletas só foi igualado aos 34 minutos do segundo tempo, com a expulsão do marfinense Eboue Kouassi,.

Na etapa inicial o Brasil sofreu bastante para segurar os africanos. Mas, no segundo tempo, o time do técnico André Jardine conseguiu criar as melhores chances, sem sucesso. Com esse resultado, a seleção nacional foi a quatro pontos e segue líder do grupo D, dependendo de apenas um empate com a Arábia Saudita na quarta-feira (28) para avançar. A Costa do Marfim também tem quatro pontos, mas aparece na vice-liderança pela diferença no saldo de gols.

Categorias
Esportes

Brasileiro: Flamengo mira G4 e São Paulo fugir da zona de descenso

Neste domingo (25), Flamengo e São Paulo se enfrentam no Maracanã, no Rio de Janeiro, a partir das 16h (horário de Brasília), pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.

As equipes duelam em cenários opostos na tabela. O Rubro-Negro soma 18 pontos e tem a chance de se aproximar do G4 após um primeiro terço de campeonato bastante irregular. Os cariocas têm quatro derrotas, nenhum empate e seis vitórias, com dois jogos a menos. Após a goleada por 5 a 0 sobre o Bahia, no estádio de Pituaçu, em Salvador, há uma semana, a equipe de Renato Gaúcho busca o terceiro triunfo seguida na competição.

A formação diante do São Paulo deve ser a mesma que atropelou o Defensa y Justícia (Argentina), na última quarta-feira (21), no Maracanã, por 4 a 1, pelas oitavas de final da Libertadores, com Diego Alves; Mauricio Isla, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luís; William Arão, Diego e Everton Ribeiro; Giorgian de Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabriel.

O Tricolor tem 11 pontos e tenta se distanciar da zona de rebaixamento. O time de Hernán Crespo levou dez rodadas para, enfim, obter a primeira vitória. Quando teve a oportunidade de emplacar o terceiro triunfo seguido, a equipe do Morumbi perdeu por 1 a 0 para o Fortaleza, em casa, na semana passada. Os paulistas começam a rodada em 16º, apenas um ponto a frente do Sport, 17º colocado, que encabeça o Z4.

Crespo não terá os atacantes Éder e Luciano (contundidos), o lateral Daniel Alves (seleção masculina olímpica) e o zagueiro Léo (suspenso). Em meio a uma maratona com 12 jogos em quase 40 dias, o técnico deve poupar titulares, pensando na sequência da temporada. Se optar pela base que superou o Racing (Argentina) por 3 a 1, fora de casa, na última terça-feira (20), pelas oitavas da Libertadores, o São Paulo terá: Tiago Volpi; Robert Arboleda, Miranda e Bruno Alves; Igor Vinicius, Liziero, Gabriel Sara, Martín Benítez e Wellington; Emiliano Rigoni e Marquinhos.

Outros cinco jogos dão sequência à 13ª rodada neste domingo. Às 11h, Atlético-MG e Bahia se enfrentam no Mineirão, em Belo Horizonte. Às 16h, o Fortaleza enfrenta o Red Bull Bragantino na Arena Castelão, na capital federal. Às 18h15, são duas partidas: o Athletico-PR encara o Internacional na Arena da Baixada, em Curitiba, e o Santos duela em casa, na Vila Belmiro, contra o Atlético-GO. Por fim, às 20h30, o Ceará visita o Sport na Ilha do Retiro, em Recife.

Transmissão da Rádio Nacional

A Rádio Nacional transmite Flamengo e São Paulo ao vivo com a narração de André Luiz Mendes, comentários de Waldir Luiz e plantão de Bruno Mendes. Você acompanhar o Show de Bola Nacional, a partir das 15h30, aqui:

Categorias
Esportes

LNF: Campo Mourão joga por vaga antecipada e Brasília quer sobrevida

Obter a classificação antecipada às oitavas de final da Liga Nacional de Futsal (LNF) é o objetivo do Campo Mourão-PR na partida deste domingo (25), contra o Brasília-DF, a partir das 11h (horário de Brasília). O duelo na arena da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), em Campo Mourão (PR), terá transmissão ao vivo da TV Brasil.

Nesta edição da LNF, os cinco primeiros de cada grupo avançam à próxima fase, além do melhor sexto colocado entre as três chaves da primeira fase. Os mourãoenses estão em quarto lugar do Grupo C, com os mesmos 16 pontos do Marechal-PR, ficando à frente pelo saldo de gols.

O Brasília, por sua vez, é o sétimo e penúltimo da chave, com dez pontos. Com 12 pontos em disputa, está a seis de Campo Mourão e Marechal, que estão nas duas últimas vagas diretas do grupo às oitavas de final. Uma vitória recoloca a equipe brasiliense novamente na cola dos paranaenses.

As duas franquias tropeçaram nos últimos compromissos pela LNF. Na quarta-feira passada (21), o Brasília foi derrotado por 5 a 4 pelo Pato-PR no ginásio Dolivar Lacerda, em Pato Branco (PR). O goleiro Thiago, expulso, desfalca os brasilienses neste domingo. Por outro lado, o time do técnico Brunão terá o retorno do fixo Guilherme Springer, que perdeu os dois últimos jogos por suspensão.

“A gente vem em um momento que não temos luxo de escolher adversários. A gente vem com alguma dificuldade de jogar fora de casa, às vezes, pela juventude do elenco, falta um pouco de experiência para decidirmos os jogos fora. Temos que somar pontos nas próximas partidas. Se não for nessa, nas próximas em Uberlândia [MG, contra o Praia Clube-MG] e Marechal Rondon [PR, diante do Marechal]. Precisamos, ao menos, conseguir três pontos nessas rodadas fora de casa para chegar em condição de igualdade para decidir [a classificação] contra o Pato na última rodada, em Brasília”, avaliou Brunão, à Agência Brasil.

Já na última segunda-feira (19), o Campo Mourão perdeu várias oportunidades e foi superado pelo Tubarão-SC em casa, por 1 a 0. O técnico Sérgio Lacerda não tem desfalques para enfrentar o Brasília.

Será o segundo duelo entre os times nesta edição. Em 21 de junho, o Brasília venceu por 3 a 1 no ginásio do Sesc de Ceilândia (DF). Os alas Leandrinho e Thomas e o fixo Gui Marques balançaram as redes para a franquia da capital federal, enquanto o pivô Caio Júnior fez o gol dos paranaenses.

“Fizemos um bom jogo em Brasília, mas tivemos um índice abaixo do normal [de conversão] de finalizações e [acertos] de passes. Espero que neste domingo a gente imponha velocidade, proponha o jogo e tenha um percentual de acertos maior para sairmos vitoriosos, garantirmos a classificação e começarmos a pensar em alcançar uma melhor colocação [na chave] para termos alguma vantagem nas oitavas”, analisou Lacerda, também à Agência Brasil.

Categorias
Esportes

Ferroviária e Boa Esporte defendem sequências invictas na Série D

Após empatarem sem gols em Varginha (MG), há uma semana, Ferroviária-SP e Boa Esporte-MG duelam neste domingo (25), às 15h (horário de Brasília), pela oitava rodada do Grupo 6 da Série D do Campeonato Brasileiro. A partida na Arena da Fonte Luminosa, em Araraquara (SP), será transmitida ao vivo pela TV Brasil.

A Locomotiva, como é conhecida a equipe paulista, lidera com 16 pontos, dois a frente da Coruja, mascote do time mineiro, que também aparece na zona de classificação, iniciando a rodada em terceiro lugar. Os clubes ostentam invencibilidades relevantes. A Ferrinha não é derrotada, nem sofre gols, há seis jogos. O empate no duelo passado, inclusive, interrompeu uma sequência de cinco vitórias seguidas. O Boa não sabe o que é perder há cinco partidas, com dois triunfos e três igualdades na série positiva.

O goleiro Saulo recebeu o terceiro amarelo no jogo anterior com o Boa e desfalca a Ferroviária, que também não deverá contar com o meia Guilherme Bala, que está no departamento médico. O técnico Elano, ex-jogador de equipes como Santos, Grêmio e seleção brasileira, não confirmou o time que mandará a campo, nem se contará novamente, entre os titulares, com o volante PH, liberado após cumprir suspensão na última rodada.

A provável formação da Ferroviária neste domingo será: Wagner; Bruno Leonardo, Guilherme Mattis e Léo Rigo; Bernardo, Marquinhos, Nando Carandina, Léo Castro e Bruno Santos; Júlio Vitor e Gleyson.

No Boa, o lateral-esquerdo Iago Sampaio, suspenso pelo terceiro amarelo, desfalca o time dirigido por Gabardo Júnior, que também não terá o meia-atacante Marcelinho, lesionado. O meia Alyson Santos, que chegou a substituir Iago contra o Patrocinense-MG, pode novamente ser improvisado no setor, o que deverá dar ao meia Romeu um lugar entre os titulares.

Assim, a Coruja deve formar com: Tom; Richard, Gabriel Pinheiro, Glauco e Alyson Santos; Zé Augusto, Romeu, Fabinho e Aruã; Lucas Coelho e Willian Mococa.

Categorias
Esportes

Skate estreia em Jogos Olímpicos na noite deste sábado

O skate fará a tão aguardada estreia na história das Olimpíadas na noite deste sábado, a partir das 20h30 (horário de Brasília), no Parque de Esportes Urbanos de Ariake. A primeira modalidade a colocar os atletas na pista será o street masculino. Kelvin Hoefler, Felipe Gustavo e Giovanni Vianna são os representantes verde e amarelos.

No domingo, também a partir das 20h30, será a vez de Pâmela Rosa, Rayssa Leal e Letícia Bufoni representarem o Brasil.

Nos Jogos, street e park contarão com 20 skatistas por categoria (Feminino e Masculino). As disputas serão divididas em preliminares e final (que terá a presença dos oito melhores). As duas fases acontecem no mesmo dia. No total, serão quatro dias de competição (um para cada modalidade e categoria).

O Street será disputado com os atletas fazendo duas voltas de 45 segundos e 5 tentativas de manobra. A nota final de cada skatista é composta pela somatória das 4 maiores notas.

O skate brasileiro confirmou o limite de 12 vagas por país nas Olimpíadas. O feito foi alcançado somente por Brasil e Estados Unidos.

Categorias
Esportes

Olimpíada: seleção feminina de vôlei estreia neste domingo em Tóquio

Brasil e Coreia do Sul se enfrentam a partir das 9h45 (horário de Brasília) deste domingo (25), na Arena Ariake, na estreia das duas equipes no torneio feminino de vôlei da Olimpíada de Tóquio 2020.

O treinador José Roberto Guimarães comentou sobre a expectativa do Brasil para o jogo. “A Coreia do Sul tem um estilo de jogo que sempre nos trouxe dificuldades. Elas têm uma jogadora excepcional que é a Kim que jogou comigo no Fenerbahçe. A Kim sustenta as principais ações da Coreia. É uma equipe que joga com muita velocidade e tem muitas mudanças de combinações de ataque. É uma seleção muito perigosa ainda mais para um jogo de estreia. Vai ser difícil, mas estamos confiantes”, disse o treinador à assessoria da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

O Brasil será representado no feminino pelas levantadoras Macris e Roberta, a oposta Tandara, a ponteira/oposta Rosamaria, as ponteiras Natália, Fernanda Garay, Gabi e Ana Cristina, as centrais Carol Gattaz, Carol e Bia e a líbero Camila Brait.

Em Tóquio, o Brasil está no grupo A ao lado da Sérvia, do Japão, da Coreia do Sul, da República Dominicana e do Quênia. As quatro melhores da chave se classificam.

Na última edição dos Jogos, no Rio, em 2016, a seleção feminina ficou em quinto lugar. O Brasil tem dois ouros e dois bronzes no feminino nos Jogos Olímpicos.

Categorias
Esportes

Série D: Goianésia vira para cima do Gama na abertura do returno

O Goianésia venceu o Gama por 2 a 1 de virada na tarde deste sábado (24) pela 8ª rodada do grupo 5 da Série D, no estádio Valdeir de Oliveira, em Goianésia. O jogo marcou a abertura do returno do torneio e, com o resultado, os donos da casa seguem líderes da chave com 16 pontos. O Gama é apenas o 6º, com sete pontos. A 

O primeiro gol do jogo foi marcado pelo Gama. Aos 21 minutos da etapa inicial, em rápido contra-ataque, o atacante Mailson recebeu em profundidade, driblou o goleiro e mandou para o fundo das redes. Mas, aos 12 minutos da etapa final, a zaga do time do Distrito Federal falhou feio e saiu o gol de empate. O último a tocar na bola foi o defensor Wallace. Logo depois, aos 15 minutos, Ygor marcou um golaço completando de primeira uma bola rebatida na entrada da área e definiu a vitória dos mandantes.

O Azulão volta a jogar no domingo (1º de agosto) contra o Nova Mutum fora de casa. No sábado (31), o Gama recebe o Porto Velho.

Categorias
Esportes

Bolsa Atleta contempla 80% da delegação brasileira em Tóquio

Nas Olimpíadas de Tóquio, no Japão, que começaram na última sexta-feira (23), 242 competidores brasileiros são bolsistas integrantes do programa Bolsa Atleta. Eles representam 80% dos 302 atletas que compõem a delegação do Brasil nos Jogos. 

Criado em 2005 pelo governo federal, o Bolsa Atleta é considerado um dos maiores programas de patrocínio individual de atletas do mundo. Em 18 das 33 modalidades que o Brasil vai disputar no Japão, 100% dos atletas são bolsistas do programa. Seis praticam tênis de mesa; oito, vôlei de praia; quatro, saltos ornamentais; cinco, ciclismo (levando em conta mountain bike e BMX); sete, ginástica artística; e três, taekwondo. Já no atletismo, 48 dos 51 esportistas fazem parte do programa e, dos 26 atletas da natação, 25 integram o Bolsa Atleta.

Aos 45 anos, Jaqueline Mourão é a representante nacional no ciclismo mountain bike e está em sua sétima edição de Jogos Olímpicos, somando sua participação em edições de verão e de inverno. Mourão também é uma das atletas que recebem Bolsa Atleta há mais tempo no país. O benefício tem sido fundamental para sua dedicação esportiva. “É a base que a gente tem, a segurança que eu tenho pra poder continuar me dedicando ao meu esporte. Sem esse incentivo, eu não teria conseguido minhas sete participações olímpicas”, afirma.   

Medalhista de prata nas Olimpíadas do Rio, em 2016, Felipe Wu é atleta do tiro esportivo, especializado em pistola de ar de 10 metros. É o único competidor brasileiro na modalidade a disputar em Tóquio. Contemplado com a Bolsa Atleta, ele elogia a flexibilidade do programa. “Com relação ao programa Bolsa Atleta, a grande importância e a vantagem dele, digamos assim, é que é um valor que chega diretamente ao atleta, diferente de outros programas, que a gente tem menos flexibilidade de usar”, afirma. 

Entenda

A solicitação para o Bolsa Atleta é feita de forma online, pelo site. Selecionados, os atletas assinam um termo de adesão e são contemplados com 12 parcelas de benefícios, depositados em conta específica da Caixa. Os valores são definidos de acordo com as seguintes categorias: atleta de base (R$ 370), estudantil (R$ 370), nacional (R$ 925), internacional (R$ 1.850), olímpico/paralímpico (R$ 3.100) e pódio (R$ 5 mil a R$ 15 mil).

Os depósitos são feitos sem intermediários e a principal prestação de contas do atleta ao governo e à sociedade “é a obtenção de resultados expressivos nas disputas”, de acordo com o Ministério da Cidadania. Este ano, o programa contemplou 7.197 atletas, com um investimento previsto de R$ 97,6 milhões.

A ciclista Jaqueline Mourão, que passa boa parte do seu tempo no Canadá se preparando para as competições de inverno, diz que o programa brasileiro é um estímulo que outros países não oferecem. “Eu passo bastante tempo no Canadá. Eu vejo a situação dos atletas lá também. E é muito legal ver um programa do governo dando essa segurança que muitos atletas de outros países não têm”.