Categorias
Esportes

Brasileiras estreiam contra Japão em novo torneio de rugby em Dubai

A seleção feminina de rugby sevens, conhecida como Yaras, enfrenta o Japão na madrugada desta quinta-feira (8), às 2h44 (horário de Brasília), pela estreia da segunda edição do Emirates Invitational, torneio amistoso em Dubai (Emirados Árabes Unidos), preparatório para a Olimpíada de Tóquio (Japão). O duelo será transmitido ao vivo pelo canal oficial da competição no YouTube.

Ainda na manhã desta quinta (8), as Yaras encaram os Estados Unidos às 6h46 e a França às 9h20. Na madrugada de sexta-feira (9), as brasileiras encerram a participação na primeira fase contra o Quênia, às 2h22, e Canadá, às 7h52. Somente a partida com as francesas não será transmitida pelo canal oficial no Youtube. Se fizer uma das duas melhores campanhas, o Brasil disputa a final às 11h10, também na sexta (9).

Na primeira edição (pontos corridos) do Emirates Invitational, realizada nos últimos dias 2 e 3 de abril, as Yaras ficaram em quarto lugar, entre seis seleções. Foram três vitórias, sobre o time “B” da França (19 a 14), Japão (31 a 19) e Quênia (17 a 5), e três derrotas: Estados Unidos (7 a 36), França “A” (31 a 12) e Canadá (36 a 14). As canadenses foram campeãs da primeira edição.

“Este tipo de competição, que não vale pontos para o ranking, é importante para testarmos nossas ideias contra adversárias na luta por uma medalha olímpica e jogarmos com menos pressão. O time está forte tanto na defesa, quanto no ataque. O compromisso de todas em lutar pela bola é muito grande. As jogadoras experientes estão ajudando as novatas a mostrarem seu jogo”, destacou a capitã Luiza Gonzalez, em nota à imprensa divulgada pela Confederação Brasileira de Rugby (CBRu).

Além de Luiza, o Brasil será representado pelas atletas Aline Mayumi, Aline Furtado, Bianca Silva, Claudia Lopes Teles, Franciele Martins, Haline Scatrut, Isadora Cerullo, Isadora Souza, Leila Silva, Mariana Nicolau, Marina Fioravanti, Rafaela Zanellato e Thalita Costa.

 A classificação das Yaras para Tóquio foi alcançada em 2019, com a conquista do Campeonato Sul-Americano, em Lima (Peru). Em 2016, na Olimpíada do Rio, elas ficaram em nono lugar entre 12 seleções.

Categorias
Esportes

Bicampeã olímpica, Thaisa se aposenta da seleção feminina de vôlei

Campeã olímpica em Pequim (China) e Londres (Reino Unido), a central Thaísa anunciou que não defenderá mais a seleção brasileira feminina de vôlei. A atleta de 33 anos, eleita a melhor jogadora da edição 2020/2021 da Superliga, finalizada na última segunda-feira (5) e na qual foi campeã pelo Minas Tênis Clube, comunicou a decisão na terça-feira (6).

“Inevitavelmente, todos querem saber se estarei com a seleção brasileira nas próximas competições, inclusive a Olimpíada de Tóquio [Japão]. Mas, infelizmente, a resposta é não. Hoje [terça], despeço-me da seleção com muita, muita mesmo, dor no peito. São mais de 14 anos dedicados a defender nosso país na seleção adulta, 18 [anos] considerando a base, sempre com garra e respeito que a bandeira merece. Nunca faltou amor e entrega nesta história linda para os dois lados”, escreveu a jogadora em seu perfil no Instagram.

Em 2017, Thaisa sofreu uma lesão grave no joelho esquerdo, quando defendia o Eczacibasi (Turquia). Foram dez meses longe das quadras, em tratamento, e a necessidade de utilizar, ainda hoje, uma proteção na região, que ainda causa dores à central.

“É justamente por não conseguir mais dar esta entrega, física e mental, que encerro minha história com a seleção. Os últimos anos foram duros para o meu corpo, convivendo com dores diariamente. Não consigo ajudar o grupo todo da forma como gosto e entendo que seja necessária. Preciso descansar e respeitar, mais do que tudo, o meu corpo, que é minha ferramenta de trabalho. Pensando na longevidade da minha carreira em clubes, é hora de me recuperar”, completou a atleta.

Thaísa fez parte da geração mais vitoriosa do voleibol feminino do Brasil. Além dela, a central Fabiana, a ponteira passadora Jaqueline, a oposto Sheilla e a ex-líbero Fabi integraram as seleções medalhistas de ouro em 2008 e 2012, ambas dirigidas por José Roberto Guimarães. Vestindo a camisa do Brasil, a jogadora de 1,96 metro também foi pentacampeã do Grand Prix (2008, 2009, 2013, 2014 e 2016) e ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara (México).

Zé Roberto iniciou os trabalhos com a seleção feminina de 2021 no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ), com 11 jogadoras que não estiveram envolvidas na final da Superliga. As convocadas do campeão Minas e do vice Dentil Praia Clube serão anunciadas nos próximos dias. O primeiro desafio será a Liga das Nações, entre 25 de maio e 20 de julho, em Rimini (Itália). Será a oportunidade para o treinador definir as 12 atletas que representarão o Brasil em Tóquio.

Categorias
Esportes

Atlético-MG vence Pouso Alegre e pemanece na ponta do Mineiro

O Atlético-MG derrotou o Pouso Alegre por 1 a 0, na tarde desta quarta-feira (7) no estádio do Mineirão, e permaneceu na liderança isolada do Campeonato Mineiro com 21 pontos conquistados (o segundo colocado é o América-MG, que tem 15 pontos e que joga na próxima quinta com o Patrocinense).

Com o revés na 8ª rodada da competição, o Pousão ficou na 5ª posição da classificação com 11 pontos.

Com uma equipe mista, o triunfo do Galo foi alcançado graças a gol de Eduardo Vargas. Aos 37 minutos da etapa inicial, Keno achou o atacante chileno, que marcou de cabeça.

Próximo compromisso

O Altético-MG volta a entrar em campo pelo Campeonato Mineiro no domingo (11) às 16h (horário de Brasília), quando faz clássico com o Cruzeiro no estádio do Mineirão. No mesmo dia o Pouso Alegre mede forças com o Patrocinense.

Categorias
Esportes

Seleção brasileira continua em terceiro no ranking de seleções da Fifa

A Fifa anunciou nesta quarta-feira (7) a edição de abril do seu ranking de seleções. E a classificação não tem grandes mudanças em relação à edições anteriores, com a Bélgica ocupando a 1ª posição, a França a 2ª e a seleção brasileira a 3ª.

O Top 10 é completado por Inglaterra (4ª posição), Portugal (5ª posição), Espanha (6ª posição), Itália (7ª posição), Argentina (8ª posição), Uruguai (9ª posição) e Dinamarca (10ª posição).

A explicação para as poucas mudanças no ranking foi o pequeno número de partidas de seleções realizadas no último mês, com destaque para as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 (Catar) e da edição 2021 da Copa das Nações Africanas.

É bom lembrar que a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) suspendeu os jogos das Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo previstos para os dias 25 e 30 de março por causa das dificuldades para a participação de jogadores que atuam na Europa.

Categorias
Esportes

Fratus é liberado de seletiva olímpica de natação devido à covid-19

O nadador Bruno Fratus, brasileiro mais bem colocado no ranking da Federação Internacional de Natação (Fina),  não virá mais ao Brasil para participar da seletiva olímpica nacional, a partir do próximo dia 18, no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro. Nesta quarta-feira (7), a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) afirmou, por meio de nota, que liberou o atleta devido ao avanço da pandemia do novo coronavírus (covid-19) no país. Atualmente, o brasileiro, medalhista de prata nos últimos dois Mundiais de Esportes Aquáticos, reside nos Estados Unidos, onde o número de casos é decrescente.

Esperança de medalha do Brasil nos Jogos de Tóquio, o brasileiro sua seletiva (tomada de tempo) na competição TYR Pro-Swim Series, que começa amanhã (8), na cidade de Mission Viejo, na Califórnia (Estados Unidos). De acordo com a CBDA, Fratus, de 31 anos, terá apenas uma oportunidade de classificação para a Olimpíada de Tóquio assim como os demais atletas brasileiros.

Seletiva nacional

A CBDA também anunciou que agendou para 12 de junho a a seletiva de atletas que testarem positivo para covid-19 e que aguarda a confirmação da data pela Fina.  Desde o dia 19 de março – data inicial para o salvo-conduto estabelecido pela CBDA – sete nadadores já foram diagnosticados com covid-19.

Categorias
Esportes

Vasco manifesta interesse em participar de licitação do Maracanã

O Vasco da Gama oficializou o interesse em participar da próxima licitação da gestão do Maracanã, em reunião realizada ontem (6) entre o presidente do clube e o governador em exercício do Rio de Janeiro Cláudio Castro. Também participaram do encontro o vice-presidente do clube, Carlos Roberto Osório, e Pedro Seixas, vice-presidente de projetos especiais e responsável pelas obras de modernização do estádio de São Januário, em São Cristóvão, zona norte da capital.

Flamengo e Fluminense são os atuais gestores do complexo do Maracanã – que inclui ainda o Maracanãzinho, o Estádio Célio de Barros, e Parque Aquático Júlio Delamare. O contrato expira no próximo dia 30 e um novo processo licitatório deve ser aberto ainda no primeiro semestre deste ano.

Vasco manifesta interesse de participar de licitação do Maracanã - Presidente Jorge Salgado, Governador Cláudio Castro e VP Geral Carlos Osório- em 06/04/2021Vasco manifesta interesse de participar de licitação do Maracanã - Presidente Jorge Salgado, Governador Cláudio Castro e VP Geral Carlos Osório- em 06/04/2021

Presidente do Vasco Jorge Salgado, o governador em exercício Cláudio Castro e vice-presidente do clube Carlos Osório se reuniram nesta terça (6) no Palácio Guanabara – Divulgação/Vasco.com.br

“O Maracanã é o maior palco do futebol mundial. O Vasco foi protagonista dessa linda história e continuará sendo. Conquistamos o primeiro título da era Maracanã e celebramos grandes conquistas em seu gramado. Voltar para o Maracanã é uma decisão estratégica para o futuro do Vasco e perfeitamente compatível com nosso projeto de modernização de São Januário”, declarou Jorge Salgado em depoimento ao site do Vasco.

Salgado disse que criou um grupo de trabalho com representantes das vice-presidências de Finanças, Marketing e Jurídica que será responsável pela estruturação do modelo de negócios para a participação no certame. O Cruzmaltino também avaliará possíveis parcerias com outros clubes e com a iniciativa privada.

Categorias
Esportes

Vasco e Tombense decidem vaga na terceira fase da Copa do Brasil

O futuro de Vasco e Tombense na Copa do Brasil será decidido nesta quarta-feira (7), às 21h30 (horário de Brasília), no estádio Almeidão, em Tombos (MG). O duelo pela segunda fase da competição nacional será transmitido ao vivo pela Rádio Nacional.

A classificação à terceira fase tem impacto esportivo e financeiro. Além de manter viva a expectativa de um título nacional, com direito a lugar na próxima Libertadores, a vaga rende uma premiação polpuda em dinheiro: R$ 1,7 milhão. Tanto Vasco como Tombense arrecadaram R$ 1,235 milhão na edição deste ano, sendo R$ 560 mil de participação e R$ 675 mil pela classificação à segunda fase.

O rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro custou ao Cruzmaltino um posto entre os clubes que recebem maiores premiações. Se integrasse o Grupo 1, com os 15 primeiros colocados do ranking da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o time carioca teria recebido R$ 2,5 milhões (R$ 1,15 milhão de participação e R$ 1,35 milhão por ir além da primeira etapa). Em 16º lugar, o Vasco também ficou fora do Grupo 2, dos demais integrantes da Série A, que já teria lhe rendido R$ 2,06 milhões (R$ 990 mil de participação e R$ 1,07 milhão de classificação).

Chegar à segunda fase não foi fácil para ninguém. O Vasco saiu na frente, mas levou o empate da Caldense no estádio Ronaldo Junqueira, em Poços de Caldas (MG), e sofreu para segurar o 1 a 1. Por ser mais bem colocado que o rival no ranking da CBF, o Cruzmaltino tinha a vantagem da igualdade e seguiu adiante. O critério classificou a Tombense, que ficou no zero contra o Nova Mutum no estádio Valdir Doilho Wons, em Nova Mutum (MT). Na segunda fase, porém, se a partida terminar empatada, a decisão da vaga à terceira fase será nos pênaltis.

No Vasco, o técnico Marcelo Cabo pode promover a estreia dos atacantes Léo Jabá e Morato, que estão regularizados e viajaram com o elenco, que foi de ônibus para Pedra Dourada (MG), cidade vizinha a Tombos. Recuperado de uma lesão na coxa, o zagueiro Leandro Castan está de volta, assim como o lateral Léo Matos, o zagueiro Ernando, o meia Marquinhos Gabriel e o atacante Germán Cano, poupados na vitória por 4 a 2 sobre o Bangu, no último sábado (3), pelo Campeonato Carioca.

O Cruzmaltino deve atuar com Lucão; Léo Matos, Ernando, Leandro Castan e Zeca; Bruno Gomes, Andrey, Matías Galarza e Carlinhos; Gabriel Pec e Germán Cano.

Atual vice-campeã mineira, a Tombense ocupa o sexto lugar do Estadual, entre 12 times, com duas vitórias, quatro empates e uma derrota (para o líder Atlético-MG, pela segunda rodada). No último domingo (4), o Gavião Carcará derrotou o Athletic Club em Tombos por 2 a 1. Na Copa do Brasil, que participa pela quarta ocasião, o time alvirrubro busca chegar pela primeira vez na terceira fase. O técnico Bruno Pivetti deve escalar a equipe com: Felipe Garcia; David, Wesley, Matheus Lopes e João Paulo; Rodrigo, Paulinho Dias e Jhemerson; Daniel Amorim, Caíque e Keké.

Transmissão da Rádio Nacional

A Rádio Nacional transmite Tombense e Vasco ao vivo, com narração de Felipe Rangel, comentários de Waldir Luiz, reportagem de Maurício Costa e plantão esportivo de Luiz Ferreira. Você acompanha o Show de Bola Nacional aqui:

Outros jogos

Outros quatro jogos movimentam a segunda fase da Copa do Brasil nesta quarta. Às 16h, o Picos recebe o Boavista no estádio Helvídio Nunes, em Picos (PI), e a Juazeirense pega o Volta Redonda no estádio Adauto Moraes, em Juazeiro (BA). Às 19h30, o Vitória enfrenta o Rio Branco-ES no Barradão, em Salvador. Por fim, às 21h30, o Bahia mede forças com o Manaus no estádio de Pituaçu, também na capital baiana.

Categorias
Esportes

Após ranking histórico, Luisa Stefani sonha com vaga na Olimpíada

Atingir o 26º lugar do ranking de duplas da Associação de Tênis Feminino (WTA, na sigla em inglês) colocou Luisa Stefani na história do tênis brasileiro. Trata-se da melhor colocação de uma atleta do país desde que a lista foi criada, em novembro de 1975. A paulistana de 23 anos superou ninguém menos que a lenda Maria Esther Bueno, dona de 19 títulos de Grand Slam (simples e duplas) e que ocupou a 29ª posição em dezembro de 1976. No auge de Maria Esther, nos anos 1950 e 1960, ainda não havia um ranking com atualizações semanais.

“Com certeza, o retorno [sobre o feito] tem sido grande nesses dias, mas estou muito longe de superar a Maria Esther. Obviamente, é um momento especial, fruto de muito trabalho. Nos últimos meses, tenho visto melhora no meu jogo, dentro e fora de quadra. A gente fica tão envolvida com a rotina, jogo a jogo, treino a treino, que só quando tem uma pausa é que dá para sentir a dimensão, o carinho e a importância para o tênis brasileiro e feminino, principalmente”, conta a tenista, em entrevista à Agência Brasil.

A marca foi alcançada após o vice-campeonato no WTA 1000 de Miami (Estados Unidos), no último sábado (3), ao lado da norte-americana Hayley Carter, 27ª do mundo nas duplas e parceira da brasileira desde outubro de 2019. Se viesse o título, a paulistana teria iniciado a semana na 23ª posição do ranking. Na atual temporada, elas também foram finalistas nos WTA 500 de Abu Dhabi (Emirados Árabes) e Adelaide (Austrália).

E Luisa pode ir além. Se chegar ao Top 10 do ranking de duplas até 7 de junho, garante vaga na Olimpíada de Tóquio (Japão) e, de quebra, leva com ela uma brasileira que esteja entre as 300 do mundo na WTA para formar uma das 32 parcerias do torneio feminino. O Brasil tem, hoje, quatro tenistas na condição: Laura Pigossi (171ª), Carol Meligeni (249ª), Gabriela Cé (254ª) e Paula Gonçalves (289ª). Nos Jogos Pan-Americanos de Lima (Peru), em 2019, Luisa e Carol foram medalhistas de prata.

A vaga olímpica também colocaria a paulistana na chave de duplas mistas, possivelmente para atuar com Bruno Soares, número quatro do ranking da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP). Eles jogaram juntos no Aberto da Austrália deste ano e caíram nas oitavas de final.

“Para esse ano, com certeza, a meta que tenho quase todo dia em mente é chegar à Olimpíada. Sempre foi um sonho. [Classificar] não é algo que possa controlar totalmente, mas é do que lembro ao fazer minha rotina no dia a dia, trabalhar duro. É uma das minhas maiores metas, além de conquistar um Grand Slam e ser número um do mundo”, afirma Luisa.

Outro objetivo, segundo ela, é incentivar a nova geração do tênis brasileiro, da mesma forma que, há seis anos, Teliana Pereira a motivou. Aposentada desde setembro do ano passado, aos 32 anos, Teliana esteve entre as cem melhores do mundo entre 2013 e 2016. Em 2015, a paranaense venceu o WTA 250 de Bogotá (Colômbia), sendo a primeira jogadora do país a vencer um torneio nível WTA após 27 anos. Naquele mesmo ano, em outubro, ela atingiu o 43º lugar do ranking mundial em simples.

“Foi muito legal vê-la despontar no Top 100, ganhar WTA, aparecer mais na TV, podendo assisti-la mais vezes na TV. Fiquei feliz por ela, mesmo sem conhecê-la na época, ainda mais depois que a conheci. Ela mostrou que a gente podia chegar lá”, recorda Luisa.

“É bem gratificante ver as crianças, as meninas mesmo, falando que querem jogar assim, jogar mais duplas, chegar onde você está chegando. É uma das partes mais especiais [da carreira]. Ainda mais no Brasil, onde a gente ainda está meio carente [no tênis feminino principalmente] de mais jogadores. Poder servir de referência, motivar meninas e meninos a chegarem a esse nível no esporte, é incrível. Quero continuar”, completa.

O próximo compromisso de Luisa será justamente representando o Brasil. Ela foi uma das convocadas pela capitã Roberta Burzagli para o confronto contra a Polônia, pela repescagem da Billie Jean King Cup, torneio de seleções equivalente à Copa do Mundo no tênis feminino. As partidas serão na cidade de Bytom (Polônia), em quadra rápida, entre os dias 16 e 17 deste mês. As brasileiras têm de vencer o duelo para manter o país entre os 16 integrantes do Grupo Mundial. Gabriela Cé, Carol Meligeni e Laura Pigossi também foram chamadas.

“Eu amo participar de competições por equipes, principalmente pelo Brasil. Adoro a energia, ter a equipe próxima, ainda mais com a meninas e o time que formamos. Joguei tênis universitário [nos Estados Unidos], então [a Billie Jean King Cup] me lembra muito. É uma das minhas semanas preferidas no ano”, diz a brasileira, que terá alguns dias de descanso em Tampa, cidade norte-americana onde mora, antes da viagem para Bytom.

“O desgaste [da sequência de competições] é grande, mentalmente e fisicamente. Ir de bolha em bolha, tem a preocupação do novo coronavírus [covid-19], aumenta um pouco a tensão dos torneios. Então, com certeza, nos próximos dias, estar em casa, dar uma refrescada na cabeça e ajustar coisas no jogo que preciso melhorar, mas também dar uma acalmada, será superpositivo antes da Billie Jean King Cup. Depois, aproveitar a Billie Jean com a energia do time. É a parte principal, onde cresço e que dá gás para o resto do ano”, conclui.

Categorias
Esportes

Fluminense goleira Macaé por 4 a 0 no Carioca

Com gols do garoto Kayky e dos veteranos Fred, Nenê e Ganso, o Fluminense goleou o Macaé por 4 a 0, na noite desta terça-feira (6) no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.

Com a vitória na partida válida pela 8ª rodada da Taça Guanabara do Campeonato Carioca, o Tricolor das Laranjeiras assumiu a 4ª posição da classificação com 13 pontos. Já o Leão permaneceu na lanterna da competição com apenas dois pontos conquistados.

Vitória tranquila

O Fluminense começou mandando na partida, e não demorou a abrir o marcador. E o primeiro gol saiu dos pés de um garoto de apenas 17 anos formado em Xerém. Aos 23 minutos Luiz Henrique tocou para Kayky, que bateu na saída do goleiro Jonathan Ribeiro. Este foi o primeiro gol do atacante como profissional.

O time das Laranjeiras continuou melhor, mas só ampliou o marcador aos 18 da etapa final. O meio-campista Martinelli deu passe em profundidade para Fred, que dominou na entrada da área e deslocou Jonathan Ribeiro para marcar o seu gol de número 399 na carreira.

O terceiro também sai dos pés de um veterano. Aos 33 minutos Nenê cobrou falta direto, da intermediária, para fazer 3 a 0. Mas o Fluminense queria mais, e conseguiu o quarto com Ganso, aos 46 minutos, quando o camisa 10 aproveitou passe de cabeça de Lucca para deixar o seu.

Próximo compromisso

O próximo jogo do Tricolor no Carioca será no domingo (11), quando enfrenta o Nova Iguaçu no estádio do Maracanã. Já o Macaé volta a entrar em campo no sábado, contra o Resende.

Categorias
Esportes

Libertadores: Conmebol adia jogo entre Grêmio e Del Valle

A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) anunciou na noite desta terça-feira (6) que adiou o jogo do Grêmio com o Independiente Del Valle (Equador), pela terceira fase da Copa Libertadores, para a próxima sexta-feira (9), às 19h15 (horário de Brasília), no estádio Defensores del Chaco, em Assunção (Paraguai). Inicialmente, a partida aconteceria na quarta (7) em Quito.

A decisão foi tomada após o Governo local decidir impedir a realização do jogo em território equatoriano porque jogadores do Tricolor gaúcho testaram positivo para o novo coronavírus (covid-19). “Decidimos suspender o jogo da Copa Libertadores entre Independiente Del Valle e Grêmio, que aconteceria amanhã em Quito, após jogadores da equipe brasileira testarem positivo para covid-19. A saúde dos cidadãos está acima de qualquer jogo de futebol”, publicou em seu perfil no Twitter o ministro do Interior do Equador, Gabriel Martínez.

Na tarde desta terça, o Grêmio anunciou que “Paulo Victor e Vanderson testaram positivo para covid-19 em Quito”. Segundo o time brasileiro, os dois “estão isolados no hotel da delegação, ambos assintomáticos”.

Com a decisão da Conmebol de mudar a data e o local da partida, o Grêmio informou que “a delegação viaja de Quito para Assunção, em horário e data ainda a serem divulgados”.